terça-feira, 24 de março de 2009

Há dias em que não dá mais

Ao chegar a casa, constatei mais uma vez a falta de sentido que a minha vida tem dentro destas quatro paredes. Os dias são riscados no calendário em contagem decrescente até pelo menos ter 23 anos. Tenho uma sede enorme de me afastar destas pessoas que me controlam todos os passos e que me impedem de ser quem realmente sou. De fazer como o meu irmão. Refugiar-me noutro país, bem longe.
Já não suporto as gritarias da minha mãe logo pela manhã, a dizer que se eu não mudo isto ou aquilo, que vai logo a correr contar ao meu pai que a filhinha querida dele é altamente fufa. E eu penso cá para os meus botões “Conta!!! Sempre me poupas trabalho!!”
Chamem-me egoísta, chamem-me o que quiserem. Mas ouvir comentários preconceituosos na rua é irrelevante. Mas, ouvi-los dentro da nossa própria casa e ser-mos constantemente ameaçados disto ou daquilo por aqueles que supostamente nos deviam dar todo o apoio que precisamos, isso não posso aguentar, nem quero!
Não suporto também que me ofendam a mim e à minha namorada, sem a conhecerem, apenas pela nossa sexualidade.
E pronto, hoje não é um dia lá muito bom. Eu não costumo irritar-me nem ficar de mau humor com facilidade, mas quando fico, é em grande.

5 comentários:

Kate disse...

Relax, take it easy, my love.
E a namorada até fez cafunézinho a ti, que tu gostas (:

Dantins disse...

Pensa que um dia serás dona da tua vida e que ninguém poderá interferir nela, até lá sei que é difícil.

Quanto aos pais, acabam por se habituar e mais tarde até orgulhar pela vida que escolhemos.

Leonor disse...

Sim, a namorada fez e eu gostei :D

Dantins, enquanto esse dia não chega, desespero.

Lilás disse...

Olha, se te faz sentir melhor, eu estou solidária contigo, porque passo pelo mesmo que tu, neste caso,um pouco pior,porque tenho um pai que nao merecia ser gente, quanto mais pai de alguém.

Leonor disse...

Lilás,
No meu caso o meu pai é a coisa melhor daqui de casa, apenas porque não sabe.